Plaisir de Merle

plaisir-de-merle
plaisir-min

A história de Plaisir de Merle começou em 1687 quando Huguenot Charles Marais e a sua família deixaram França e navegaram até ao Cabo da Boa Esperança para começar uma boa vida. Em dezembro de 1693, Charles Marais tornou-se o primeiro dono da vinha que se situa junto às montanhas Drakenstein. Charles Marais deu à vinha o nome Le Plessis Marly em honra ao seu local de nascimento. Gradualmente, acabou por se tornar Plaisir de Merle.

Após a sua morte, a vinha foi herdada pelo seu filho Claude, que continuou
com as tradições do seu pai. A propriedade Plaisir de Merle situa-se na encosta virada para sudeste das montanhas Simonsberg. O ponto mais alto da vinha localiza-se a 500 metros acima do nível do mar e o mais baixo a 140 metros abaixo. Ainda há algumas áreas grandes que não são cultivadas, mas aproximadamente 365 hectares têm plantadas vinhas com, entre outras, Chardonnay, Sauvignon Blanc, Cabernet Sauvignon, Merlot e Shiraz.

A 1 de dezembro de 1993, Plaisir de Merle abriu uma nova cave, exatamente 300 anos depois de Charles Marais ter adquirido a vinha. A cave é considerada uma obra de arte de arquitetura, tendo também umas instalações harmoniosas e funcionais. Nos dias de hoje, o enólogo Niels Bester é responsável pelos vinhos Plaisir de Merle.